Brasil está à frente quando o tema é protocolo IPv6

O endereço de protocolo da internet, talvez, seja mais conhecido pela sigla IP. Para os usuários de longa data da web, a lembrança desse item pode estar ligada, infelizmente, a problemas de conexão: momentos em que erro era detectado por uma falha de ligação do IP com o provedor de internet. Mas, olhando pelo lado positivo, essa experiência ajuda muito a compreender qual é a função do protocolo IP.

Afinal, o que é IP?

O protocolo IP é, resumidamente, um endereço numérico vinculado a todo dispositivo digital e tem a função de permitir que informações se desloquem de um ambiente a outro. Por isso, uma falha nele impede que a conexão de internet seja disponibilizada em seu computador, por exemplo, exatamente por não saber mais chegar até ele, uma vez que o endereço foi perdido momentaneamente.

O que o IP faz é tornar possível a comunicação entre diversos dispositivos e recursos da rede. Porém, se você conhece alguma coisa sobre o IP, pode ser que precise se adaptar a algumas novidades sobre o tema!

Criado em 1983, esse mecanismo nasceu com a possibilidade de gerar até 4 bilhões de endereços únicos – e isso é muito importante, pois sua integridade está em ser exclusivo para cada dispositivo. Na época, contudo, a internet ainda não era de uso doméstico e a demanda era muito mais restrita. Mas, quase 40 anos depois, as disponibilidades de endereço – do que ficou conhecido como IPv4 – foram, praticamente, esgotadas.

E o que fazer para resolver?

Primeiro: por que é importante eliminar esse problema? Os usuários da web sofreriam com problemas como lentidão, falhas de conexão, dificuldade para utilizar as funcionalidades dos softwares, além de aumento do preço do serviço. O motivo? Com o fim da disponibilidade de endereço, seria preciso compartilhar o número de IP entre vários usuários, o que causaria prejuízos significativos na segurança da informação e no acesso à rede mundial de computadores.

Para garantir que a internet das coisas, por exemplo, umas das principais solicitantes para a criação de novos protocolos IP – referente à funcionalidade de objetos do cotidiano com aplicabilidade digital, como lâmpadas, carros e etc. –, continue a se desenvolver e os usuários mantenham os recursos já conhecidos na rede, criou-se, em 2012, o IPv6.

 

O que é o IPv6?

O IPv6 é a tecnologia desenvolvida para ampliar a disponibilidade de endereços de protocolo IP para o mundo inteiro! Com ela, é possível criar mais de 340 undecilhões de opções para dispositivos: um grande passo para garantir a estabilidade da web, de serviços e da rotina de usuários.

Além disso, um fator muito importante diz respeito à segurança de informação que o protocolo IPv6 acresce à nossa relação com a internet. Conheça os benefícios dessa tecnologia, que estarão no seu dia a dia:

  • Com o uso obrigatório do IPsec, a criptografia dos dados do usuário é garantida;
  • Dificulta a invasão de hackers, pois tem barreiras para varreduras que estejam à procura de dispositivos vulneráveis;
  • Oferece recurso para assegurar privacidade das informações trocadas;
  • Outro pilar do IPv6 é disponibilizar integralidade, impedindo que os dados se rompam no caminho até o endereço final;
  • Obviamente, um ponto que o protocolo IPv6 não pode falhar: garantir que o usuário dos serviços/informações seja o correto;
  • E por último: oferecer protocolo IP exclusivo e garantir a funcionalidade da internet com qualidade.

E o Brasil nesta história?

O Brasil ocupa o 4º lugar no ranking de países com mais usuários de internet. Diante de tal magnitude, que afeta serviços e gera renda, o IPv6 é fundamental para manter o acesso dos brasileiros à rede e nosso país ocupa destaque nesta área: segundo o Google, o Brasil está em 9º lugar no ranking de países que mais implementaram a tecnologia IPv6, devido, especialmente, às empresas de telecomunicação, que já adaptaram 100% da sua rede ao novo protocolo.

A razão para a disparada desse setor é a de que o acesso à internet via mobile é predominante no país, portanto, estratégias para não afetar esse público guiaram o trabalho das operadoras de telefonia.

Com o trabalho delas e de demais áreas da tecnologia, nós realmente temos motivos para comemorar: estamos na dianteira da tecnologia da informação, protagonizando um processo de migração que significa segurança e viabilidade para a conexão de usuários e desenvolvimento de nossas empresas em vários segmentos.

Quer saber mais? Conte com a Advicefale com um de nossos especialistas!